Histórico do TRIZ

Andreza Domingues, Wagner Dutra,
Márcia Nunes e Péricles Raggio


CURRÍCULO DO GRUPO
O Teatro Por Um Triz, criado em 1996 por Márcia Nunes e Péricles Raggio, atores formados pelo curso de Artes Cênicas da UNICAMP, nasceu com a proposta de pesquisar a associação do trabalho de ator com as diversas linguagens do Teatro de Animação. Ao longo destes 20 anos produziu diversos espetáculos, intervenções cênicas, contações de histórias e ministrou oficinas.

Seguem datas e informações sobre os trabalhos do grupo:

2015 - Produção do espetáculo "O MISTÉRIO DO SAPATO DESAPARECIDO" com texto e direção de Márcia Nunes e Péricles Raggio. Estreou no Teatro MuBE Nova Cultural em junho deste ano e em setembro cumpriu temporada no Teatro Armazém Cultural SP.

2013 – Pela terceira vez contemplado pela Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, juntamente com o Teatro de La Plaza, estreia os espetáculos “ÁGUAS DE L’AVAR” e “O AVARENTO de Molière – versão hídrica”, com direção de Héctor Lopes Girondo, cenografia de Miguel Nigro, preparação corporal e de COMMÉDIA D’EL ARTE de Débora Serretiello, trilha sonora do maestro Luciano Carvalho e assessoria artística do bonequeiro espanhol Jordi Bertran.
Estes espetáculos, concebidos para a rua, estrearam e realizaram temporada no MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA, na Biblioteca São Paulo, praças e parques da cidade de São Paulo (2013).
Participaram dos seguintes festivais:
São José do Rio Preto (2014); Festival de Teatro Infantil de Blumenau, Mostra Internacional Boneco Gira Boneco em Bauru (2014). Em 2014 participou do projeto Teatro nos Parques.

2012 - Produz dois espetáculos:
“VASSILISA, A SABIDA”, com direção de Lílian Guerra, da Cia. TRECOS E CACARECOS. A peça é uma adaptação de um conto tradicional russo e o grupo utiliza apenas pedaços de tecidos e caixas para a criação de cenários e bonecos.
Estreou no CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS DO TEATRO DE ANIMAÇÃO coordenado por Henrique Sitchin da Cia. TRUKS e cumpriu temporada nas Bibliotecas Municipais de São Paulo (2012) Continua no repertório do grupo.
“MALAZARTE EM TODA PARTE”, adaptação de contos que trazem o espírito deste tradicional personagem do folclore brasileiro, com direção de Márcia Nunes. Estreou no SESC Pompéia, entrou em temporada no SESC Ipiranga (2013) e participou do Projeto Literatura Viva do SESI (2013 e 2014) realizando apresentações em unidades escolares do SESI no interior de São Paulo.

2009 - Contemplado pela segunda vez com a Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, juntamente com as Cias Patética e Teatro de La Plaza, estreia o espetáculo “A CRIATURA” em 2010, com direção de Héctor Lopes Girondo, cenografia de Miguel Nigro e preparação corporal e de COMMÉDIA D’EL ARTE de Débora Serretiello e trilha sonora do maestro Luciano Carvalho.
“A CRIATURA” ficou em cartaz no Teatro Paulo Eiró (2010) e foi indicado para o Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro na categoria melhor elenco.

2008 - Contemplado com o Prêmio de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo e Prêmio Produções Inéditas do SESI Vila Leopoldina, juntamente com as Cias Patética e Teatro de La Plaza, estreia “SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO” com direção de Héctor Lópes Girondo, cenografia de Miguel Nigro e preparação corporal e de COMMÉDIA D’EL ARTE de Débora Serretiello.
Cumpriu temporada no SESI Vila Leopoldina (2008) e em todos os CEUS – Centros de Educação Unificada da Prefeitura Municipal de São Paulo (2008/2009).
Participou da VIAGEM TEATRAL SESI (2009) realizando apresentações nos teatros do SESI no Estado de São Paulo.
Recebeu o prêmio QUALIDADE BRASIL de melhor espetáculo infanto-juvenil (2008).

2005 - Cria o espetáculo ”PATINHO FEIO – O VOO DE ANDERSEN”, com direção de Cris Lozano.
Com o bicentenário de nascimento de Hans Christian Andersen, primeiro autor de literatura infantil, o grupo iniciou uma pesquisa sobre a biografia deste importante artista e se deparou com seu trabalho plástico pouco conhecido: silhuetas de papel recortadas, representando figuras recorrentes em seus contos como bailarinas, cisnes e duendes. A partir deste material tão rico, o grupo propôs ao SESC Pompéia a criação de uma exposição lúdica sobre Andersen, que teria a orientação técnica do cenógrafo Márcio Tadeu. O espetáculo ”PATINHO FEIO – O VOO DE ANDERSEN” estreou na exposição
ANDERSEN 200 ANOS (2005) realizando mais de 70 apresentações.
Realizou temporada nas seguintes salas de espetáculo de São Paulo:
- Teatro Folha (2007); Centro Cultural São Paulo (2006); Teatro Humboldt (2006); SESC Pinheiros (2006), Teatro Arthur Azevedo (2008); Bibliotecas Municipais de São Paulo (2012).
Participou da FITA – Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis – RJ (2010).

2002 – A convite do SESC Pompéia monta “PINÓQUIO ETC E TAL” para a exposição “120 ANOS DE PINÓQUIO” realizando mais de 80 apresentações.
O grupo que vinha participando do CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS DO TEATRO DE ANIMAÇÃO coordenado por Henrique Sitchin da Cia. TRUKS, convida este artista para dirigir a montagem.
“PINÓQUIO ETC E TAL” realizou temporada nas seguintes salas de espetáculo de São Paulo:
- Teatro Folha (2003); Teatro João Caetano (2004); Teatro Jd São Paulo (2005); SESC Pinheiros (2008), SESC Pompéia (2008); CEUS – Centros de Educação Unificada da Prefeitura Municipal de São Paulo (2004).
Participou dos seguintes projetos do SESI:
- AÇÃO ARTE-EDUCAÇÃO (2013 e 2014) – apresentações em unidades escolares do SESI no interior de São Paulo.
- VIAGEM TEATRAL SESI 2010 (de março a maio) – apresentações teatros do SESI no Estado de São Paulo.
Recebeu os seguintes prêmios:
- Melhor Espetáculo Infantil - FITA – FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO DE ANGRA (nov/2009);
- Melhor Espetáculo; Melhor Espetáculo Infantil pelo Júri Popular; Melhor Direção; Melhor Cenário; Melhor Sonoplastia e Melhor Atriz Coadjuvante - FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE PINDAMONHANGABA (2004). Continua no repertório do grupo.

2001 – Estreia "ALMANAQUE DE ARAQUE", com texto de Antônio Rogério Toscano (convidado para desenvolver a dramaturgia a partir de uma ideia original do grupo) e direção de Edu Silva da Cia PicNic Núcleo2. O espetáculo traz para o palco uma aventura no mundo dos jogos de almanaque e fez parte da exposição “A VOLTA AO MUNDO EM 80 JOGOS” nos SESCs Consolação e Araraquara.
Ficou em cartaz no Teatro Flávio Império (2002), no SESC Ipiranga (2002).
Participou da 2a MOSTRA SESI DE TEATRO INFANTIL (2003) realizando apresentações nos teatros do SESI no Estado de São Paulo.
Ganhou o Prêmio de Melhor Espetáculo Infantil no XXV Festival de Pindamonhangaba (2001).

2000 – Estreia no SESC Bauru “DONA TERRA”, espetáculo sobre o meio ambiente, criação coletiva com bonecos feitos a partir de material reciclável.

1999 – Em “PRINCESAS DAQUI E DALI”, inicia a pesquisa com bonecos de manipulação direta. O espetáculo, sob direção de Cristiana Gimenes, faz uma releitura dos Contos de Fada. Ficou em cartaz no SESC Vila Mariana (2000), itinerou por várias unidades do SESC, Casas de Cultura e participou de projetos ligados à Secretaria de Educação do Município de São Paulo. Este trabalho também continua em repertório.

1998 - Monta o espetáculo “ESCONDE-ESCONDE COM LOBATO”, texto original do grupo inspirado na vida e obra deste grande escritor e participa, a convite do SESC, da exposição O BRASIL DE MONTEIRO LOBATO no SESC Pompéia.

1998 – Trabalhando com bonecos de luva e com o universo da cultura popular, conta alguns mitos e lendas do nosso folclore no espetáculo "O CORONEL E O CURUPIRA". O espetáculo estreou na exposição MITOS QUE VEM DA MATA no SESC Pompéia e está no repertório do grupo até hoje.

1997 – Estreia “HISTÓRIA DOS FIOS”, criação coletiva, que explorava o universo da cultura popular nordestina e trabalhava com bonecos de luva, inspirados no Mamulengo. O trabalho foi apresentado em várias unidades do SESC, Casas de Cultura e Instituições de Ensino.

1996 – Criação do grupo por Márcia Nunes e Péricles Raggio, atores formados pela UNICAMP. Iniciam uma pesquisa sobre Teatro de Animação e criam a esquete “VIVA MÁQUINA”, juntamente com o músico Loop B. Este primeiro trabalho foi apresentado na abertura do Festival Internacional de Teatro de Animação, no SESC Ipiranga, em junho de 1996.

Nenhum comentário: